Leilão – Como funciona a armazenagem de ativos que serão vendidos?

Atualmente, o leilão é o grande responsável por proporcionar ganhos financeiros para pessoas físicas e jurídicas que desejam vender ativos improdutivos, e por proporcionar grandes oportunidades para os seus respectivos compradores. 

Entretanto, ainda existem diversas dúvidas acerca de um leilão, que visamos sempre tentar solucionar ao nosso leitor.

Uma delas é a forma como funciona a armazenagem de ativos que vão a leilão. Para responder a essa dúvida, nós preparamos este artigo, que também mostra como funciona a modalidade on-line e quais são as suas vantagens.

Boa leitura!

O que são os ativos?

São os direitos e os bens que uma empresa possui e que permitem a possibilidade de gerar ganhos monetários. Entre eles estão as matérias-primas, as ferramentas, os maquinários, os contratos, os equipamentos de TI, o mobiliário e até mesmo a sucata.

Existem dois tipos de ativos: os circulantes, que são os bens e os direitos de curto prazo e que possuem uma liquidez maior; e os não circulantes, que são os ativos de longo prazo, e que, por isso, representam menor liquidez. 

Por que a gestão de ativos é importante antes de vendê-los em um leilão?

É preciso realizar uma boa gestão de ativos para que você possa entender o que é ou não útil dentro da sua empresa e, assim, conseguir maximizar os resultados financeiros com aqueles inservíveis.

A gestão de ativos começa antes mesmo dele ser obtido. Ela os acompanha desde antes da aquisição ao descarte, para que os dados registrados no sistema da empresa contem com o controle de entrada e saída.

Quando você identifica um ativo inservível em sua empresa, existem diversas possibilidades de desmobilizá-lo e trazer um retorno financeiro. A forma mais rápida e segura é através da venda em um leilão.

Onde posso armazenar os meus ativos que vão a leilão?

Você realizou a gestão dos ativos da sua empresa, identificou aqueles inservíveis e decidiu vendê-los em um leilão. O próximo passo é: onde armazená-los?

Dependendo do escritório de leilões que for escolhido, ele pode contar com locais para a armazenagem dos seus ativos, como galpões cobertos, semi cobertos e até mesmo pátios com espaço para grandes bens. 

A Milan Leilões, por exemplo, oferece espaços para que você armazene o seu ativo até o momento em que ele seja liberado para ser vendido no leilão. Contamos com um pátio de 80 mil metros quadrados e um depósito fechado de 15 mil metros quadrados com toda a infraestrutura necessária e especializada, voltada para o acondicionamento, exibição e comercialização dos mesmos.

Conclusão

Toda empresa precisará desmobilizar os seus ativos em algum momento, já que vai precisar de novos veículos, maquinários, imóveis, entre outros bens que estarão adequados à sua necessidade naquele momento. 

Para essa desmobilização ser ainda mais efetiva, a empresa pode recuperar o seu capital por meio de um leilão, um modo fácil, rápido e seguro de receber um retorno financeiro que pode ser reinvestido dentro da companhia. 

Se a sua dúvida era sobre onde armazenar o seu ativo, você já sabe que existe um local certo para armazenar o seu ativo que irá a leilão. Então, você não tem mais motivos para não escolher essa opção como a forma que irá desmobilizar o bem.

Na hora de escolher por um escritório de leilões que vai ser o responsável por divulgar, armazenar o seu ativo e por realizar o leilão dele, procure por um parceiro de confiança, que ajude a sua empresa a realizar a desmobilização com sucesso.